Por quê Comprar um Apto na Planta para o seu Filho

Imagine que você tem um Filho, que faz aniversário hoje, 18 anos. Há 18 anos atrás, 1996, um apartamento de 80m² próximo à Avenida Paulista em São Paulo, custava R$ 44.900,00.

Hoje custa quase 2 Milhões.

Consegue imaginar isso? Pagar à vista, os 5 anos de faculdade do seu filho e ainda sobrar dinheiro para pagar à vista, a festa de casamento do seu filho e ainda sobrar dinheiro pra pagar à vista, o primeiro carro 0km do seu filho e ainda sobrar dinheiro para comprar à vista, um apartamento de 60m² no Brooklin para seu filho e ainda sobrar dinheiro para você abrir uma conta de poupança para o seu filho?

Sim, isso é tudo o que você poderia fazer pelo seu filho, se tivesse comprado um apartamento de 80m² na Paulista há 18 anos atrás.

Por outro lado, se tivesse guardado o dinheiro numa conta de poupança de lá pra cá, a inflação teria corroído os juros e o dinheiro não pagaria nem mesmo um carro de 100mil reais.

Por que Comprar um Apartamento na Planta para seu Filho… Por quê o imóvel valeria quase 2 Milhões de reais? Sim. Por que é um Imóvel e imóvel não desvaloriza a longo prazo. A tendência é subir e subir muito, por que o período de tempo é grande e o imóvel é um bem permanente, que não está sujeito à:

  • flutuações do mercado;
  • desvalorizações da moeda;
  • não é corroído pela inflação;
  • não desaparece se a Economia quebrar.

O único defeito que um imóvel pode ter é a Falta de Liquidez, ou seja, não se vende um imóvel da noite para o dia e recebe o dinheiro na hora. No mais, um imóvel só tem pontos positivos.

O melhor ainda está por vir. Um apartamento num bairro afastado, daqui a 18 anos, será um imóvel num bairro valorizado e que não será mais tão afastado. Pense no Morumbi por exemplo, há 18 anos atrás… Não tinha quase nada! Hoje? Construções e mais construções e mais construções. Por menos de 7mil/M² você não compra um apartamento decente, numa avenida movimentada do Morumbi. Pense na Barra Funda, há 18 anos atrás… Ou o entorno do Parque Ibirapuera, na Vila Mariana… Brooklin, Vila Olímpia, Jardim Paulista, Jardim Europa, imagine esse bairros há 18 anos atrás, quanto teria custado um Imóvel em 1996 e quanto estaria valendo hoje…

Hoje é extremamente difícil para um jovem de 18 anos, conseguir comprar o primeiro imóvel sem algum apoio financeiro. Normalmente, o rapaz ou a moça ficam morando com os pais até terminarem faculdade, terminar o estágio e conseguir um emprego que pague muito bem, pois tem mensalidades da faculdade, prestação de carro pra pagar, combustível, alimentação, vestuário, lazer e… …o financiamento de um apartamento. Com o salário que um jovem recebe após a faculdade, você acha que ele consegue pagar tudo isso?

Claro que não. Vai morar com os pais até os 25, 28, 30 anos de idade… Como diz o ditado, “hoje o filho só sai de casa quando casa.”

Óbvio que ninguém vai expulsar o filho de casa, não é mesmo? Mas ter seu próprio carro, apartamento, faculdade paga e algum dinheiro na poupança para talvez abrir seu próprio negócio após a faculdade, é um futuro muito mais promissor para o seu filho do que ficar morando com os pais até os 30 anos de idade. É bom ter os filhos por perto, mas a experiência de morar sozinho por pelo menos por uns 5 anos e gerenciar sua vida com seu próprio dinheiro, é uma vivência muito importante para o seu filho, antes de se casar. Se não for assim, depois entra num casamento sem experimentar livremente a vida de solteiro e fica se remoendo, pensando que não aproveitou a vida. Isso é muito frequente hoje em dia.

Agora imagine, o seu filho faz 18 anos hoje. E o presente de aniversário que ele vai ganhar é um imóvel de quase 2 Milhões de reais perto da Avenida Paulista. Melhor que uma viagem, melhor que um carro, melhor que uma viagem para a Europa, não acha? Esse é o melhor presente que você poderia dar para o seu filho, segurança para o resto da vida dele, pois começar a vida profissional com quase 2 Milhões de reais é no mínimo, o prenúncio de uma vida tranquila, segura e estável, sem sustos. E só um imóvel proporciona isso.

Ok, antes de avançar nesse projeto e já sair procurando um apartamento na planta pra comprar para o seu filho, os pais precisam se fazer algumas perguntas difíceis.

  1. Implicações na Família, à longo prazo

Você é relativamente jovem, tem perto de 40 anos, um filho pequeno, um casamento recente, que vai bem e não planeja um divórcio entre vocês, o pai e a mãe. Mas e daqui a 18 anos, você tem certeza absoluta de que ainda estará casado com o pai ou a mãe do seu filho? Não há como garantir isso, correto? Porém, uma coisa é certa: todos os bens do casal serão divididos entre o marido e a mulher. E aí é briga, confusão, advogados, processo judicial, tempo perdido, ou seja, uma complicação enorme para todos os envolvidos. Os bens simplesmente se dissolvem, imóveis são vendidos a preço de banana para pagar ambas as partes. E os móveis, os veículos, tudo, tudo é dividido ao meio.

Só que vocês, como pais inteligentes que são, já compraram o apartamento para o filho. Que dentre todos os bens, não entrará na separação, pois é do seu filho e está em nome dele. Resumindo? Não se perde. Fica fora do divórcio, da separação e das brigas.

Um outro ponto importante, você começa desde cedo a criar e a educar um filho independente, que se tornará mais experiente, responsável e maduro do que o filho que morou com os pais até os 30 anos de idade. Quando se casar, o seu filho já tem a experiência de vida de um solteiro, por bastante tempo. E o casamento dele transcorrerá melhor, pois se divertiu quando solteiro e agora não tem arrependimentos ou desejos de liberdade.

  1. O quanto ajudar meu filho vai me custar, não só agora, mas também no longo prazo?

Depende. Se você comprar hoje, um apartamento de 30m² na planta, perto da Avenida Paulista, vai pagar de R$ 600.000 a R$ 900.000. Ficou pronto? Financiamento Bancário. Daqui a 18 anos, estará valendo uns 5 milhões e será muito valorizado. O financiamento bancário terá no início, prestações entre R$ 4.500 e R$ 6.000 reais. Mas se o apartamento na planta for um Flat na Mooca, por exemplo, de 50m², custará entre R$ 400.000 e R$ 450.000, as prestações do financiamento vão iniciar entre R$ 2.900 e R$ 3.600 reais. E se for no Morumbi, um apartamento de 60m² na planta custará entre R$ 350.000 e 400.000, as prestações iniciais vão começar em R$ 2.500 e R$ 3.000 reais, decrescentes, obviamente.

Pergunto, fará diferença daqui a 18 anos se o apartamento é no Morumbi? Vila Guilherme? Mooca? Brooklin? Brás? República? Não. Vai valorizar também. O essencial é não endividar os pais.

  1. Este é o momento certo de comprar um Imóvel na Planta para o meu Filho?

Sempre foi difícil para os jovens poupar dinheiro suficiente para usar como Entrada num Imóvel. É ainda mais difícil conciliar todas as despesas mensais com o pagamento da faculdade. Agora, além disso tudo, depois de dar entrada num imóvel, ter que pagar também o financiamento do imóvel? Impossível! A renda de um jovem recém saído da faculdade mal  dá pra pagar as prestações de um carro 0km decente e seguro. Porém, o quadro é ainda pior! A competição no Mercado de Trabalho, o crescente endividamento dos jovens e o país crescendo devagar, empregos sem estabilidade e oportunidades de carreira limitadas? Tudo isso desfavorece o jovem que, aos 28 anos, tenta comprar seu primeiro imóvel sozinho.  Melhor ter o seu primeiro imóvel 10 anos antes, aos 18 anos, valorizado e pronto.

Mas não está caro comprar um imóvel agora?

A verdade é que um imóvel é patrimônio e como patrimônio, demora-se algum tempo a adquirir e pagar. Era caro no passado, é caro no presente e será caro no futuro. Sempre será difícil comprar um imóvel, ontem, hoje e amanhã. O detalhe é que amanhã será ainda mais caro do que é hoje. Então, o que realmente se necessita é uma mudança de mentalidade, tomar a coragem de adquirir e se esforçar para manter o bem na família, por 18 anos.

Se imóvel fosse fácil de comprar, então todo mundo hoje teria casa própria e ninguém pagaria aluguel. Ou seja, isso é falso. É caro e sempre será caro. A questão é projetar o hoje para daqui a 18 anos, o quão difícil será comprar o mesmo imóvel em 2032? Provavelmente será difícil também. Então temos que mudar nossa mentalidade e começar agora.

  1. Presente ou Empréstimo?

É um presente, é claro, os pais sabem que nunca vão receber o dinheiro de volta. Para a criança, o benefício de ganhar um imóvel vai muito mais além de não ter que devolver o dinheiro aos pais. Usando o imóvel, os pais ensinam ao filho a responsabilidade das despesas mensais, pagamento de energia, água, condomínio, etc. De forma positiva e motivadora, os pais educam a criança e a preparam para o futuro como adulto.

É inteligente deixar uma pequena despesa do imóvel ser pago pela criança. Por exemplo, a conta de água. Ou a conta de energia. Ou o condomínio. Ou o IPTU. Tanto faz, o que importa é a criança adquirir responsabilidade e começar administrar o que é dele.

Há implicações fiscais a serem consideradas também. Um presente como esse pode ser deduzido do IR, ou seja, presentes de mais de R$ 50.000 dos pais para uma criança conta com a isenção de impostos.

  1. Projetando o Futuro

Imóvel é investimento, todo mundo sabe. Comprar imóvel para alugar, comprar imóvel para revender, comprar imóvel para imobilizar patrimônio, tanto faz, toda aquisição tem um objetivo. Mas pense nisso, comprar um imóvel para dar ao filho quando este fizer 18 anos? É um objetivo, no mínimo, exemplar.

É uma lição que passa de pai pra filho, de filho pra neto, de neto pra bisneto e sucessivamente. O seu exemplo, como pai, vai reverberar por muito tempo na família. Falando de mim, pessoalmente, me lembro de meu pai contar como se sentiu, quando soube que meu avô havia poupado dinheiro anos a fio, para comprar e quitar o primeiro apartamento que meu pai teve, no Rio de Janeiro. Na época, pagava-se em Contos de Réis, o lugar era o Leblon e Ipanema era uma praia limpa. Hoje o apartamento de 140 m² vale 12 Milhões, nele morou meu pai, hoje moro eu e meu filho, que nasceu faz 6 meses, há de morar nele um dia.

Se um dia um de nós resolver vender, o sacrifício do patriarca da família será lembrado por incontáveis gerações.

Related Posts